Rei Francisco I: de 1515 a 2015

2015: um ano festivo inspirado na Renascença

Francisco I contribuiu para o grande apogeu da Renascença em seu reino e em toda a Europa. Cinco séculos depois deste acontecimento, o ano de 2015 será marcado por uma incrível temporada cultural no Vale do Loire. As diferentes facetas desse rei emblemático, bem como os momentos mais marcantes de seu reinado serão representados. Esse aniversário será a oportunidade de reviver o universo do século 16 e de lembrar que determinadas mudanças da época continuam influenciando, ainda nos dias de hoje, alguns modos de vida.

Visitas com representações teatrais, concertos, espetáculos históricos, exposições, entre outros, definirão a atmosfera de uma temporada cultural excelente e permitirão destacar um dos critérios da inscrição do Vale do Loire na lista do patrimônio mundial da UNESCO: lugar elevado da arte e da história, a paisagem do Vale do Loire e, particularmente, seus inúmeros monumentos culturais, ilustram os ideais da Renascença e do século das Luzes acerca do pensamento e da criação na Europa ocidental.

A Renascença no Vale do Loire

O início do reinado de Francisco I foi um período dinâmico, em que o jovem rei de apenas 20 anos, dividido entre as guerras de prestígio, a construção de castelos esplêndidos e também entre as caças e os bailes de máscara, garantiu seu lugar entre os poderosos soberanos da Europa. Durante um século, a corte se instalou no Vale do Loire. Francisco I, dono de um gosto real pela arquitetura da Renascença italiana introduziu um novo estilo chamado a "Primeira Renascença". Suas construções audaciosas - Chambord, Blois - combinam o estilo gótico flamejante com os elementos trazidos da Itália. Devido ao desejo de afirmar seu novo status ou de bajular o rei, seus conselheiros e financistas tornaram-se comanditários dos maiores castelos: Azay-le-Rideau, Villandry…

As diferentes "faces" de Francisco I

Um rei guerreiro, um rei cavaleiro, um soberano europeu

Se a vitória de Marignan marcou o primeiro ano do reinado, o último será destacado apenas por mais vitórias. No alvorecer do século 16, Henrique VIII, Charles Quint e Francisco I, três jovens soberanos, se enfrentam para determinar qual seria o destino da Europa.

Um rei construtor

Chambord, Blois, Azay-le-Rideau, Amboise, Villandry… Muitos são os castelos do Loire resultantes desse reinado ou extremamente marcados por esse período. Frutos da vontade real ou construídos pela corte e comitiva do soberano, essas joias do Vale do Loire são os símbolos da Renascença francesa. O jardim aumentou e se tornou um elemento indispensável do castelo. A água, anteriormente elemento de sistema de defesa, tornou-se um elemento agradável, seja sob a forma selvagem, seja sob a forma "domesticada" e conduzida pelos canais, como em Chambord.

Um rei mecenas

Apaixonado pela arte, o mecenato é, para Francisco I, um modo de vida e, para sua corte, um verdadeiro berço artístico. Assim como os grandes mecenas italianos, ele encomenda cópias de obras de artes antigas de artistas franceses ou de outros países. Sua coleção é formada por obras da pintura, bem como por tapeçarias, esculturas, ourivesarias etc. Seus conselheiros artísticos são italianos. Leonardo da Vinci, o mais famoso deles, deixa a corte honrada com sua presença. O rei se instala perto de Amboise, no Manoir de Cloux, atualmente o Castelo de Clos-Lucé, onde viveu de 1516 até 1519, ano de sua morte. Leonardo, detentor do título de "Primeiro pintor, arquiteto e mecânico do Rei", cria projetos arquitetônicos grandiosos, bem como as decorações suntuosas das festas organizadas pelo soberano.

Um rei administrador

Francisco I instaura uma gestão moderna do Estado e anuncia grandes transformações institucionais. Trata-se de um monarca absolutista, seus oficiais são os antepassados dos ministros. Devemos a ele a criação do Tesouro econômico, bem como do Collège des lecteurs royaux (o precursor do Collège de France). Além disso, ele nomeou os bispos franceses, introduziu o Depósito legal na França e instituiu o francês como língua oficial do reino. O início de seu reinado, de 1515 a 1527, é um dos períodos luminosos da história do Vale do Loire.