©C.Mouton/CRT Centre Val de Loire - Castelo de Sully-sur-Loire ©C.Mouton/CRT Centre Val de Loire - Castelo de Sully-sur-Loire ©P.Forget/CRT Centre Val de Loire - Castelo de Sully-sur-Loire ©P.Bousseaud/CRT Centre Val de Loire - Castelo de Sully-sur-Loire ©M.Berger/CRT Centre Val de Loire - Castelo de Sully-sur-Loire ©Henneghien/CRT Centre Val de Loire - Castelo de Sully-sur-Loire ©P.Forget/CRT Centre Val de Loire - Castelo de Sully-sur-Loire
CASTELO DE SULLY-SUR-LOIRE
CASTELO DE SULLY-SUR-LOIRE
CASTELO DE SULLY-SUR-LOIRE
CASTELO DE SULLY-SUR-LOIRE
CASTELO DE SULLY-SUR-LOIRE
CASTELO DE SULLY-SUR-LOIRE
CASTELO DE SULLY-SUR-LOIRE
CASTELO DE SULLY-SUR-LOIRE
CASTELO DE SULLY-SUR-LOIRE
CASTELO DE SULLY-SUR-LOIRE

A História do Castelo de Sully-sur-Loire

Uma construção misteriosa

O Castelo de Sully está localizado em um ponto onde várias rotas se cruzam : três terrestres e uma fluvial. Foi essa posição em uma rota comercial entre Sologne e Beery que motivou a construção do castelo, sem que se saiba exatamente em que data ocorreu.

Foi preciso esperar até o ano 1000, e a casa dos senhores de Sully para confirmar a existência de uma castelo em Sully. Mas aí ainda existem questões sombrias : quais seriam os projetos ? Em que local, exatamente ?

Ao encontro do passado

Bem no final do século XIV, a família de la Trémoïle, o novo senhor de Sully, pede ao arquiteto Raymond du Temple, para defender a passagem do Loire, a construção de uma mirante que ainda hoje constitui a estrutura de base do castelo.

Em 1602, Maximilien de Béthune, marquês de Rosny e ministro de Hennrique IV, compra a senhoria de Sully. Foi o proprietário mais ilustre do castelo.

Um ilustre proprietário

MMaximilien de Béthune, nascido em 1559 no castelo de Rosny-sur-Seine (Yvelines). Protestante, ele escapa, em 1572 do massacre de Saint-Barthelémy. Passa a juventude combatendo ao lado do futuro Henrique IV. Assim, participa da reconquista do reino.

A partir de 1598, ele inicia a obra de recuperação da França, destruída por 30 anos de guerras religiosas. Principal ministro e fiel amigo do rei, acumula as funções importantes (especialmente a de Superintendente de Finanças). Ele organiza as finaças, desenvolve a agricultura, o comércio, as fortificações e a malha viária.

Ao mesmo tempo, ele se se torna uma grande potência financeira. Adquire, então, em 1602 o castelo de Sully-sur-Loire, no qual realiza grandes obras.

Em 1606, Maximilien de Béthune, está no apogeu da glória : se torna duque da França. Ele toma o nome de seu território e entra para história com o nome de Sully.

Depois da morte do rei, em 1610, ele se demite dos cargos a partir de 1611. Se dedica à gestão de sua imensa fortuna e à redação de suas memórias, as Economias Reais (impressas em Sully em 1638).
Maximilien de Béthune vem a falecer em seu castelo de Villebon (Eure-et-Loir), em 1641, aos 82 anos.

Durante quase quatro séculos, o castelo ficou nas mãos dos descendentes do duque de Sully.
Classificado como monumento histórico em 1928, o castelo de Sully-sur-Loire, pertence ao Conselho geral do Loiret, desde 1962.